121 Portugal
Pílula Contraceptiva Efeitos Secundários da Pílula Contraceptiva

Efeitos Secundários da Pílula Contraceptiva

Tal como todos os medicamentos de receita médica, existem alguns efeitos secundários que deve conhecer antes de tomar a pílula pela primeira vez. Os efeitos secundários da pílula contraceptiva dependem do tipo de pílula, da marca e da mulher que a toma. Também é importante ter consciência acerca dos efeitos secundários quando altera o seu tipo de pílula, como por exemplo, passar de uma pílula combinada para uma minipílula (apenas com progesterona) e vice-versa, já que o seu organismo precisa de algum tempo para se adaptar às diferentes concentrações hormonais.

Os efeitos secundários das pílula nem sempre ocorrem, mas é sempre importante que estes sejam tidos em conta. Muitas mulheres notam pequenas hemorragias durante o ciclo, conhecidas como spotting, durante os primeiros meses de toma. Outros efeitos secundários da pílula, na sua maioria temporários, podem incluir dores de cabeça, náuseas, aumento da tensão arterial, retenção de líquidos, alterações de comportamento, aumento ou diminuição da libido, sensibilidade e aumento mamário.

  • Pílula contraceptiva combinada: os seus efeitos menos frequentes são o risco de desenvolver coágulos sanguíneos, condição também conhecida como trombose venosa profunda, aumento do risco de cancro da mama ou cancro do colo do útero.
  • Minipílula: os seus efeitos secundários são no geral menores do que os da pílula combinada, devido à ausência de estrogénio. Porém, as dores de cabeça, as alterações de comportamento e a sensibilidade mamária podem ocorrer, ainda que apenas possam afectar algumas mulheres.

Que medicamentos podem afectar a eficácia da pílula contraceptiva?

Tanto a pílula combinada como a minipílula podem tornar-se menos eficazes se tomar algum medicamento para a epilepsia ou algum medicamento para infecções bacterianas como antibióticos. O hipericão também pode tornar a pílula menos eficaz na prevenção da gravidez.

Desta forma, deve assegurar-se de que quando toma a pílula contraceptiva com estes medicamentos ou substâncias, usa um método contraceptivo adicional, como o preservativo, durante pelo menos 7 dias após a toma do medicamento em questão.

Como me posso assegurar que a pílula contraceptiva é segura para mim?

Para garantir o melhor tratamento, terá de consultar o seu médico de clínica geral ou ginecologista, para que este possa avaliar qual a opção mais indicada de acordo com as suas características. Nalguns casos pode também estar indicada, antes da prescrição da pílula, a realização de exames médicos que permitam avaliar a sua eficácia. A pílula é um medicamento sujeito a receita médica, pelo que a sua escolha requer aconselhamento médico obrigatório, quer este seja feito recorrendo a uma consulta online ou a uma consulta física.

Recomenda-se um período de habituação às hormonas da pílula de três meses, porém, no caso de experienciar efeitos secundários incómodos e persistentes, recomenda-se que consulte o seu médico para aconselhamento.

Tratamentos Disponíveis